Pó De Livro #6 – Mensagem de uma mãe chinesa desconhecida

Fala galera! Esse é o sexto episódio do Pó de Livro, podcast do blog Clube do Livro JF!
Chega mais e vem conversar com a Jovi, Emília e Lela sobre o abandono de meninas na China, política do filho único, leis ultrapassadas ainda em vigor, a violência que nos cega e a relação entre mãe e filha em “Mensagem de uma mãe chinesa desconhecida”, da jornalista Xinran Xue.

Aperta o play e bora discutir com a gente!

Continuar lendo “Pó De Livro #6 – Mensagem de uma mãe chinesa desconhecida”

Anúncios

Fahrenheit 451 – Ray Bradbury

he man.jpg
Queima de livros aconteceu até em He-man 😮

Antes de ler Fahrenheit 451, vi algumas resenhas que tinham o seguinte enunciado “em um futuro distante”… Bem, Ray Bradbury escreveu este romance em 1950, em uma biblioteca de sua cidade. Em 1953 o autor reedita o romance que tinha como título The fire man e o transforma em Fahrenheit 451.

E daí?

E daí que  muitas das coisas que Bradbury escreve em Fahrenheit 451 definitivamente não existiam nos anos 50, entretanto, para nós no século XXI, é um romance mais atual que poderíamos imaginar (observem).

Classificado como uma distopia,  para alguns até mesmo como uma “previsão”, temos aqui bastante polêmicas (tanto acerca do autor quanto de  sua obra).

Vamos falar um pouquinho sobre a história então!

Fahrenheit 451 nos apresenta um bombeiro chamado Montag. É curioso notar que bombeiro em inglês se escreve fire man – isso é uma curiosidade, mas também uma sacada para a história pois, na escrita de Bradbury, eles não apagam mais incêndios… Eles os provocam! Os bombeiros em Fahrenheit 451 queimam LIVROS!

Continuar lendo “Fahrenheit 451 – Ray Bradbury”