Não me abandone jamais — Kazuo Ishiguro

ishig.jpg
Capa da 2º edição brasileira de Never let me go.

Internato de Hailsham, Inglaterra, 1978.

Crianças brincam em um ambiente idílico, com natureza exuberante e um excessivo incentivo às expressões artísticas, colecionismo e permutas.

As crianças de Hailsham são “especiais”.

Entretanto, descobrir o que esta pequena palavra, “especial”, pode significar neste romance retro/distópico do premiado autor Kazuo Ishiguro, o fará, inevitavelmente, irromper em lágrimas, provocando um desconforto existencial que poucas obras conseguem evocar.

Continuar lendo “Não me abandone jamais — Kazuo Ishiguro”

Anúncios

A menina submersa — Caitlin R. Kiernan

A menina submersa é um livro muito diferente! Nunca havia ouvido falar dele e, ao ganhar de presente da fofa da Ju ;), me encantei pela capa e pela beleza do livro… o devorei!

No entanto… se você está procurando um livro de leitura fácil, nem pense em chegar perto dele! Por quê? Vamos descobrir!

‘ “Vou escrever uma história sobre fantasmas agora”, ela datilografou. Uma história de fantasmas, com uma sereia e um lobo”, datilografou mais uma vez. Eu também datilografei.” – A Menina Submersa.

Continuar lendo “A menina submersa — Caitlin R. Kiernan”

Stonehenge — Bernard Cornwell

stoned_jenga_by_billy2917.jpg
Arte de billy2917

Quando uma coisa grandiosa está para ser feita, normalmente se destina à chamar atenção de gerações de homens e uma legião de deuses e espíritos…

Stonehenge me lembrou de alguma forma a obra Os pilares da terra, onde grandes feitos revelam grandes histórias….  Alguns  deles pedem obras divinas, em nome de Deus, para prestígio próprio — e isso não parece acabar bem na maior parte das vezes.

Continuar lendo “Stonehenge — Bernard Cornwell”

Pandora – Anne Rice

“[…] Escreva sobre o tempo em que você vivia, o tempo em que você e Marius se encontraram, escreva o que quiser de Marius. Mas é a sua história que eu mais quero.” – PANDORA, p.20.

Download-Pandora-As-Cronicas-Vampirescas-Vol.11-Anne-Rice-em-epub-mobi-e-pdf-370x470.jpg
Capa lindona da editora Rocco para o livro “Pandora”

Que Anne Rice, autora de livros como “Entrevista com o Vampiro” e “A Rainha do Condenados“, é uma diva literária quando o assunto são os bebedores de sangue, isso é fato conhecido. O que ainda precisávamos conhecer, é a força irresistível de uma de suas protagonistas vampiras  (sim, com “a” no final!). O resultado é de se aplaudir de pé!

Nunca leu nada da moça? Quando ouve a palavra “Lestat” nada te vem em mente? Nem Tom Cruise? Calma! Apesar de ser um dos mais de 10 livros que a Anne escreveu para suas “Crônicas Vampirescas”, você pode ler “Pandora” de boa, sem medo de ser feliz, e entender tudinho. “Como isso é possível Jovi?”

Vamos descobrir!

Continuar lendo “Pandora – Anne Rice”

O Fim da Eternidade – Isaac Asimov

eternidade_frente_altaImagine se um dia o ser humano conseguisse dominar a viagem no tempo. Será que a tecnologia seria usada para finalmente revelar os grandes mistérios da humanidade? Será que alguém iria testar o paradoxo do avô? Será que veremos esse dia chegar?

Essas são perguntas que surgem naturalmente ao se falar de uma tecnologia tão fascinante e perigosa.

Mesmo assim, imagine que o grande dia chegou, a viagem, ou melhor, o controle do tempo, foi dominado. E agora?

Continuar lendo “O Fim da Eternidade – Isaac Asimov”

Fahrenheit 451 – Ray Bradbury

he man.jpg
Queima de livros aconteceu até em He-man 😮

Antes de ler Fahrenheit 451, vi algumas resenhas que tinham o seguinte enunciado “em um futuro distante”… Bem, Ray Bradbury escreveu este romance em 1950, em uma biblioteca de sua cidade. Em 1953 o autor reedita o romance que tinha como título The fire man e o transforma em Fahrenheit 451.

E daí?

E daí que  muitas das coisas que Bradbury escreve em Fahrenheit 451 definitivamente não existiam nos anos 50, entretanto, para nós no século XXI, é um romance mais atual que poderíamos imaginar (observem).

Classificado como uma distopia,  para alguns até mesmo como uma “previsão”, temos aqui bastante polêmicas (tanto acerca do autor quanto de  sua obra).

Vamos falar um pouquinho sobre a história então!

Fahrenheit 451 nos apresenta um bombeiro chamado Montag. É curioso notar que bombeiro em inglês se escreve fire man – isso é uma curiosidade, mas também uma sacada para a história pois, na escrita de Bradbury, eles não apagam mais incêndios… Eles os provocam! Os bombeiros em Fahrenheit 451 queimam LIVROS!

Continuar lendo “Fahrenheit 451 – Ray Bradbury”

A Dádiva do Lobo – Anne Rice

A dádiva de ler Anne Rice!

“A dádiva é ser simples, a dádiva é ser livre/ A dádiva é estarmos onde devemos estar/ E quando nos encontrarmos no lugar certo/ Será no vale do amor e do prazer. ” – Anne Rice, A Dádiva do Lobo.

2010-07-30-25415_rice_anne1.jpg
Anne Rice

A Dádiva do Lobo é um livro especial dentro da carreira da escritora californiana Anne Rice. A obra marca o tão esperado retorno de Anne aos temas de criaturas fantásticas do submundo da imaginação humana, aquelas que povoam as lendas mais fascinantes e obscuras. E, dessa vez, não estamos falando dos seus carismáticos vampiros, não. Dessa vez, entra em cena a lenda do Lobo-Homem.

Continuar lendo “A Dádiva do Lobo – Anne Rice”

Os Elefantes Não Esquecem – Agatha Christie

Não tem nenhum elefante nessa história

flickr_michael_clarke_stuff.jpg
Formação rochosa da ilha de Heimaey – Islândia

Os elefantes não esquecem  é mais um dos livros de Agatha Christie, publicado em 1972, com todo o mistério, crimes e assassinatos que já se assimila ao nome da autora. A história gira em torno de um caso, o possível assassinato dos pais da afilhada da Sra. Oliver (uma escritora), que é a personagem principal do livro. Não é uma questão recente, já haviam passado muitos anos desde a morte deles, quando, em um encontro de escritores, uma senhora chamada Burton Cox,  chega até a Sra. Oliver questionando sobre o ocorrido. Para desvendar o mistério, Sra. Oliver conta com a ajuda de um amigo, o detetive Hercule Poirot (um dos personagens mais famosos de Agatha Christie).

 

Continuar lendo “Os Elefantes Não Esquecem – Agatha Christie”