O cavaleiro dos Sete Reinos – George R.R. Martin

capacavaleiroQuer conhecer um pouco de George Martin e o mundo de Gelo e Fogo, mas não gosta de ler séries de livros “intermináveis”? Ou deseja obter mais conhecimento sobre esse universo e deixar que mais teorias povoem sua mente? (Esse livro é para você!)

O cavaleiro dos Sete Reinos é uma história que se passa 90 anos antes de A Guerra dos Tronos (livro 1 das Crônicas de Gelo e Fogo). Mas não, não tenha medo você que já não aguenta mais ter crises de ansiedade por livros que possuem continuação, porque esse livro consiste em contos independentes. São três contos O cavaleiro andanteA espada juramentadaO cavaleiro misterioso, todos centrados em Dunk (Sor Duncan, o Alto), um cavaleiro andante.

Mesmo esses três contos são independentes entre si, ao final de cada aventura você fica com aquele gostinho de “queria conhecer mais sobre Dunk”, mas não com aquela ansiedade de “AAAHHH EU PRECISO SABER O QUE VAI ACONTECER” (fique tranquilo).

Afinal como Martin escreve?

Para quem ainda não teve contado com nenhum livro de George Martin, acho que estes “contos” podem ser um bom começo se você quer conhecê-lo. Esses contos sobre o cavaleiro andante são bem aos moldes da escrita das Crônicas de Gelo e Fogo, no sentido que a história é contada sob o “ponto de vista” dos personagens (no caso o personagem – Dunk). Então você vai acompanhando os acontecimentos de acordo com o que o personagem conhece, vê e escuta. Você está na mente dele e sabe um pouco sobre suas memórias e pensamentos, mas nada que acontece “portrás”, ou seja, o que outros persnagens pensam ou fazem longe de sua presença.

No fundo, ele só mata seus personagens favoritos…

[Em As crônicas de Gelo e Fogo um grupo de personagens possuem seus “plots” – que eu chamo de capítulos – então você vai acompanhar diferentes histórias, uma sobre uma donzela nobre, outra sobre um psicopata, ou uma rainha louca, uma criança, um mendigo… No caso, para alguns leitores isso pode levar à impaciência. Em O cavaleiro dos Sete Reinos a história só conta o ponto de vista de Sor Duncan em todos os três contos – então é uma meia experiência(?) – agradável para os inpacientes, provavelmente.]

Dentro de cada conto existem algumas pausas que marcam a passagem do tempo, o que geralmente os leitores usam para dar um descanço da leitura, mas não seja ingênuo, Martin usa essas pausas muito bem, e pode ser que você não consiga deixar o livro até terminar a história.

Um pouco sobre cada Conto

2b4d5916804599b5c5bd46b01cc0c04c
Ilustração de Gary Gianni

O cavaleiro andante é a história de como Dunk se torna Sor Duncan, o Alto e como ele conhece seu escudeiro, Egg. A história tem muita coisa sobre justas (ela se passa em um torneio) e fala um pouco sobre os votos e obrigaçoes da cavalaria.

A espada juramentada é uma aventura que acontece durante um dos serviços de Dunk, ele juramenta sua espada para um pequeno senhor (que possuia apenas uma torre de vigilia como morada). Há um problema de seca nas terras deste senhor e a água do rio é roubada (como é possível?), sobra para Dunk investigar.

O cavaleiro misteriosoo sonho de todo cavaleiro é participar de justas e fazer seu nome virar uma lenda, certo – não, errado, você vai saber mais sobre isso nessa história -, mas esse é, com certeza, o sonho de Dunk. E “mordido” por essa vontade, Dunk vai para um torneiro que acaba se revelando uma coisa maior. Beeem maior.

B3nkcCPIUAAn9WA.jpg“Pode ser que os deuses gostem de piadas cruéis. Ou talvez não existam deuses. Talvez nada disso tenha significado algum. Eu perguntaria ao Alto Septão, mas da última vez que fui até ele, ele me disse que nenhum homem pode realmente entender as obras dos deuses. Talvez ele devesse experimentar dormir embaixo de uma árvore” (O cavaleiro dos Sete Reinos)

Uma visão geral sobre essas 3 histórias. Você vai conhecer um pouco mais sobre a dinastia Targaryen e sobre a revolta Blackfyre. Não só isso, como também vai saber mais sobre como os Targaryen são e se parecem – tolerância ao fogo, olhos violetas, costumes… (isso tudo é verdade ou mero boato?) – conhecimentos que são limitados nas Crônicas de Gelo e Fogo por conta da escacês de Targaryen por lá. Em O cavaleiro dos Sete Reinos você pode “tirar a prova dos nove”, porque Dunk vive durante o “auge” da dinastia Targaryen.

Um personagem que é alvo de muitas teorias é o Lorde Brynden Rivers, “Lorde Corvo de Sangue”. E objetos que são descritos nos contos que também rondam teorias pelo Mundo de Gelo e Fogo são ovos de dragão e a espada Blackfyre. E até mesmo o próprio escudo de Sor Duncan.

Conclusões

7274a8f3d186e54fbff042672f652652
Ilustração de Gary Gianni

Pode ser cansativo ou confuso a descrição de heráldica e principalmente quem é o rei Targaryen, quem não é. Isso para mim é meio confuso, principalmente porque eles têm nomes parecidos (ou até o mesmo nome), mas acho que isso não interfere a compreensão da história de Dunk (o próprio Dunk se embaralha um pouco com isso as vezes – gente como a gente).

São contos relax, nada comparado com o que você encontra nos capítulos sobre Theon Greyjoy por exemplo (de memória assim, acho que são os capítulos mais pesados das Crônicas de Gelo e Fogo) a história de Dunk é beeeem mais leve. E você vai ficar até apegado aos persoagens Dunk e Egg.

Com essas três aventuras Martin constói o típico e puro herói, o cavaleiro da armadura “brilhante” (na verdade um pouco amassada e enferrujada). Nós leitores sabemos que Dunk da baixada das pulgas não era para ser cavaleiro, seu mestre morre antes que ele possa fazer seus votos, mas – conforme encontraremos ao longo dos contos – não é cavalo e armas que fazem um cavaleiro. Dunk é um herói, com toda sua moral e honra, mas ainda sim ele é “Dunk, o pateta, cabeça dura como a muralha de um castelo” e sua ignorância e juventude são seus pontos fracos.

Um último ponto que gostaria de levantar nessa “resenha” é sobre uma relação entre “professor e aluno” que está presente na história. Egg é o escudeiro de Dunk, e é possível observar, ao longo dos três contos, o que caracteriza essa relação entre ensino e aprendizagem. Egg como escudeiro deve aprender com seu Sor, mas por vezes é Dunk que aprende mais com seu escudeiro. É uma relação mútua de aprendizado na vedade (como acontece entre todos aqueles que ensinam e aprendem).


Curiosidades

Dunk-Egg.jpg
Dunk é um dos personagens favoritos de George R.R. Martin!

Para quem curte quadrinhos, os contos O cavaleiro andante , A espada juramentada já foram lançados em português em formato HQ. E o livro também possui uma versao ilustrada (que é bem bonita por sinal).

A edição que eu li é de 2014, não possui ilustrações 😦 , mas apesar de serem 416 páginas é um livro levinho de carregar, e no caso dessa edição a fonte da letra é grandinha e possui uma margem maior – o que singifica que não é um livro tão grande assim se comparados com Tormenta das Espadas ou A dança dos dragões que possuem uma fonte e margem menor e o dobro de páginas (diagramador deve ter se matado para conseguir colocar tantas palavras em um livro).

*E é provável que Martin publique mais contos sobre Dunk e seu fiél escudeiro, em algum ano do século XXI. E a “fofoca” que rola na internet é que poderemos ter, algum dia, um filme sobre esses contos (aguardo tudo ansiosamente).

five stars

Juh

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s