Todo Dia — David Levithan

Imagine que cada dia de sua vida você acordasse no corpo de outra pessoa. O que você faria?

Emília: “Esse livro é diferente de tudo o que você já leu na sua vida, pode ter certeza absoluta!”

Continuar lendo “Todo Dia — David Levithan”

O Mágico de Oz — L. Frank Baum

Tortinha de maçã com chocolate

capaozColocando um pouco mais de açúcar nesse blog, hoje vou falar da minha experiência atual com o clássico infantil O Mágico de Oz, de Lyman Frank Baum. Meu contato inicial com o mundo de Oz foi formado pelo cinema e TV. Assistia a interpretação de Judy Garland como Dorothy e, particularmente (muito particularmente), sempre sentia um soninho, mas também me encantava, principalmente  com sua voz angelical interpretando Somewhere over the rainbow.

Mas então, vamos falar do livro? Esqueça todas as referências sobre Oz que você absorveu nesse mundo cinematográfico, porque, afinal, a literatura é uma outra linguagem, vaga em um outro universo…

Continuar lendo “O Mágico de Oz — L. Frank Baum”

Pó de Livro # 4 — O Sol é Para Todos

Fala galera! Esse é o episódio 04 do Pó de Livro!
Chega mais e vem conversar com a Jovi, a Emília, a Lela e a convidada especial, Beatriz, sobre racismo, comunidades pequenas e protagonismo negro em O Sol é Para Todos, da consagrada autora americana Harper Lee.

Curtiu? Então faz as malas para Maycomb, e bora discutir!

Continuar lendo “Pó de Livro # 4 — O Sol é Para Todos”

Sunny & Snowball — Joviana Marques

Uma garotinha de capa e sua amiga inseparável, uma unicórnio encantada, enfrentam,  em diversas aventuras, o maior monstro de todos os tempos: os problemas diários.

Continuar lendo “Sunny & Snowball — Joviana Marques”

A Criatura — Sinval de Abranches

É só um conto. Não é um romance, não é uma história longa, dessas com vários capítulos, nada disso. É um conto. E é realmente impressionante a carga filosófica que o autor Sinval de Abranches consegue inserir em tão poucas linhas, com uma linguagem simples, comum, prosaica. Pois não há nada de erudito em A Criatura, a não ser, talvez, algumas das reflexões às quais podem chegar seus leitores mais predispostos a uma boa dose de filosofia existencial.

Continuar lendo “A Criatura — Sinval de Abranches”