Os Três – Sarah Lotz

Três crianças, quatro aviões, quatro continentes diferentes, um mesmo instante, um mesmo dia: 12 de janeiro de 2012.

“Quinta-Feira Negra. O dia que nunca será esquecido. O dia em que quatro aviões caem, quase no mesmo instante, em quatro pontos diferentes do mundo. Há apenas quatro sobreviventes. Três são crianças. Elas emergem dos destroços aparentemente ilesas, mas sofreram uma transformação. A quarta pessoa é Pamela May Donald, que só vive tempo suficiente para deixar um alerta em seu celular: Eles estão aqui. O menino. O menino, vigiem o menino, vigiem as pessoas mortas, ah, meu Deus, elas são tantas… Estão vindo me pegar agora. Vamos todos embora logo. Todos nós. Pastor Len, avise a eles que o menino, não é para ele… Essa mensagem irá mudar completamente o mundo.”

É diante dessa coincidência fatídica, a queda de quatro aviões em um curto espaço de tempo, que surge Os Três, um livro que poderia ser classificado como mais um da seção de teorias da conspiração, caso se baseasse em fatos reais.

Os-Três.jpgPara abordar a catástrofe e os desenrolares que ela acarreta, a autora se vale de entrevistas, recortes de jornais, mensagens de redes sociais, relatos e gravações pessoais dos envolvidos, o que dá ao leitor a sensação de estar lendo um relato ou uma biografia. A forma como é narrado contribui também para o lado misterioso e sombrio da trama, dado que o leitor não tem conhecimento dos fatos e da realidade, mesmo no fim do livro, apenas de versões dos envolvidos direta ou indiretamente com o ocorrido.

Porém, a belíssima estruturação não é o melhor que o livro nos oferece. Com o pano de fundo de um evento grandioso e ao mesmo tempo possível, Sarah Lotz nos leva a pensar sobre assuntos sérios e atuais, tais como:  fanatismo, superstição, loucura, depressão, alcoolismo, influência religiosa na política e figuras públicas, além da perda da privacidade.

Uma abordagem sem conclusões ou julgamentos, apenas a exposição de eventos e o espaço para a livre interpretação do leitor.

O fanatismo merece aqui, assim como recebe no livro, grande destaque. Após a mensagem de Pamela May Donald (citada acima) o pastor Len, junto a outros pastores, iniciam um teoria entrelaçada ao livro do apocalipse: cada criança sobrevivente seria um dos quatro cavaleiros do apocalipse, sendo o último cavaleiro uma das crianças desaparecidas em um dos vôos. Essa busca pela quarta criança gerou uma caça no continente africano, um sofrimento por parte dos pais dela e a esperança de milhares de fiéis.

Em contrapartida temos uma orla de pessoas que acreditam fielmente que o evento tenha ligações extraterrestres, teoria que ganha força com as mudança comportamentais das três crianças após o acidente.

O lado sobrenatural e misterioso se mescla com os fatos cotidianos que são relatados ao decorrer do livro. Talvez seja esse o motivo de, ao acabarmos a leitura, ficarmos por meses pensando na possibilidade de que isso ocorra, pensando em outros tipos de influências religiosas e fanáticas que povoam nossa sociedade, pensando no quão vívido e real é o romance de Sarah.

five stars

Kah

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s